Sargento morre três dias após ser baleado em Santana

  • Agenildo ficou internado por três dias, mas não resistiu aos ferimentos
    Agenildo ficou internado por três dias, mas não resistiu aos ferimentos - Reprodução
  • "Ratinho" foi preso na tarde desta quarta-feira, com o carregador da arma do PM - Divulgação
  • Carregador da arma do sargento e munições que estavam na posse de
    Carregador da arma do sargento e munições que estavam na posse de "Ratinho" - Divulgação
Baleado, Agenildo sacou sua arma e tentou atingir os bandidos, mas não conseguiu.

O sargento da Polícia Militar do Amapá Agenildo Quaresma faleceu na noite desta quarta-feira, 26, no Hospital Estadual de Santana, onde estava internado desde domingo, 23, depois de ser baleado por criminosos numa área de ponte do bairro Hospitalidade. Ele passou por cirurgia, mas teve o quadro agravado e não resistiu.

Na tarde de domingo, o policial teria ido à área com o irmão. Assim que entraram na passarela, conhecida como “Ponte do Padeiro”, foram disparados pelo menos dois tiros de arma caseira calibre 12. Baleado, Agenildo sacou sua arma e tentou atingir os bandidos, mas não conseguiu. Os criminosos fugiram e a pistola usada pelo PM, uma ponto 40, desapareceu.

Na tarde desta quarta-feira, uma equipe do Batalhão de Radiopatrulhamento prendeu em flagrante Adeildo Caetano Sabóia, conhecido como “Ratinho”, que estava com o carregador da arma do sargento, além de seis munições. Três delas, da pistola ponto 40 e as outras de calibre 357.

Ratinho, que nega envolvimento no assassinato do militar, foi levado para a 1ª Delegacia de Polícia, no bairro Igarapé da Fortaleza e, a princípio, vai responder por porte ilegal de munição de uso restrito. As polícias Civil e Militar tentam identificar os responsáveis pelos tiros que mataram o sargento Agenildo.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancel reply

0 Comentários

Anuncie Aqui